5ª feira da 4ª Semana da Quaresma

5ª feira da 4ª Semana da Quaresma

4 de abril de 2019 0 Por leiame

Desagravos ao Santíssimo Sacramento

“A Igreja e o mundo têm grande necessidade do culto eucarístico. Jesus espera-nos neste sacramento do amor. Não regateemos o tempo para estar com Ele na adoração, na contemplação cheia de fé e aberta a reparar as faltas graves e os pecados do mundo. Que a nossa adoração não cesse jamais!”

João Paulo II (Catecismo, 1380

Quem ama pede desculpas, perdão, ao ofender ou decepcionar um ente querido, a pessoa amada. O gesto de desagravo à Divina majestade, ofendida pelos pecados dos homens, perpassa o Antigo e o Novo Testamento.

Reparar espiritualmente, afirmam os teólogos, é um dever de justiça para com Deus. E sinal de nobreza de coração de nossa parte.

Num texto de Colossenses encontramos a fundamentação bíblica da pedagogia reparadora (Cl 1,24). O amor apaixonado a Jesus leva Paulo ao altar do desagravo, da solidariedade, da reparação. identificado com o Mestre, o apóstolo assume como próprios os sofrimentos de Cristo, oferecendo-lhe, num ato reparador, as fragilidades da comunidade em que vive.

Jesus Cristo é a extensão visível do amor do Pai, do Espírito Santo e dos desígnios divinos para conosco. É a ele que endereçamos nossos ofertórios e atos de desagravo.

(Pe. Roque Schneider, adaptação)

Precisamos nos lembrar do que dizia São Francisco pelas ruas de Assis: “O Amor não é amado!” Redobremos de amor para com Deus-Amor! Confiemos em Deus que nos concede a Vida Eterna!

Oração

“Bendigo-Vos, Criador e Senhor, oculto no Santíssimo Sacramento. Bendigo-Vos por todas as obras das Vossas mãos, nas quais vejo tanta sabedoria, bondade e misericórdia, Senhor; semeastes tantas belezas pela terra e elas me falam da Vossa Beleza, embora sejam apenas uma fraca imagem de Vós, Beleza inconcebível. E embora Vós tenhais escondido e ocultado a Vossa Beleza, o meu olhar, iluminado pela fé, Vos descobre e a minha alma reconhece o seu Criador, o seu maior Bem e o meu coração mergulha todo em adoração”

(Santa Faustina, Diário nº1692)

Compatilhe!