Sem categoria

Novena de Natal – 5° dia

20 de dezembro – 5° dia

Faça primeiro as orações iniciais!

Quinto dia, dedicado ao DIÁLOGO.

Toda a Bíblia é um diálogo amoroso e salvífico de Deus com os homens. Um diálogo que tem seu ápice e plenitude quando a Palavra de Deus, que é Seu Filho, se faz carne, se faz homem, tal como narra São João no primeiro capítulo de seu Evangelho.

1. No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus.
2. Ele estava no princípio junto de Deus.
3. Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito.
4. Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens.
5. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.
9. [O Verbo] era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem.
10. Estava no mundo e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o reconheceu.
11. Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam.
12. Mas a todos aqueles que o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus,
13. os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas sim de Deus.
14. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade.

De Deus, apoiado na sinceridade, afiançado no respeito e enriquecido pela compreensão, é do que precisamos em todas os nossos relacionamentos.

Um diálogo em que diariamente “nos revistamos de misericórdia, bondade, humildade, mansidão e paciência”. Colosenses 3, 12.

12. Portanto, como eleitos de Deus, santos e queridos, revesti-vos de entranhada misericórdia, de bondade, humildade, doçura, paciência.

O diálogo sereno que brota de um sincero amor e de uma alma em paz é o melhor bônus que podemos nos dar em dezembro. Assim evitamos que nossas cassas sejam lugares vazios de afeto em que andamos dispersos como estranhos sob o mesmo teto.

Deus nos concede a todos o dom de nos comunicarmos sem ofensas, sem críticas, sem prepotência, e sim com o apreço que gera a acolhida e aceitação mútua.

Fazer as orações finais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *