Sem categoria

Novena de Natal – 1º dia

16 de dezembro – 1° dia

Faça primeiro as orações iniciais!

Vamos reafirmar nossos valores, de modo que o Natal seja o que deve ser: uma festa dedicada à RECONCILIAÇÃO. Dedicada ao perdão generoso e compreensivo que aprenderemos de um Deus compassivo.

Com o perdão do Espírito Santo podemos nos reconciliar com Deus e com os irmãos e andar numa vida nova. É a boa nova que São Paulo exclamou em suas cartas, tal como lemos em sua epístola aos Romanos 5, 1 – 11.

1. Justificados, pois, pela fé temos a paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.
2. Por ele é que tivemos acesso a essa graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança de possuir um dia a glória de Deus.
3. Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência,
4. a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança.
5. E a esperança não engana. Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.
6. Com efeito, quando éramos ainda fracos, Cristo a seu tempo morreu pelos ímpios.
7. Em rigor, a gente aceitaria morrer por um justo, por um homem de bem, quiçá se consentiria em morrer.
8. Mas eis aqui uma prova brilhante de amor de Deus por nós: quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós.
9. Portanto, muito mais agora, que estamos justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.
10. Se, quando éramos ainda inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, com muito mais razão, estando já reconciliados, seremos salvos por sua vida.
11. Ainda mais: nós nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por quem desde agora temos recebido a reconciliação!

Viver o Natal é cancelar os agravos se alguém nos ofendeu, e é pedir perdão se maltratamos os outros.

Assim, do perdão nasce a harmonia e construímos essa paz que os anjos anunciam em Belém: paz na terra dos homens que amam o Senhor e se amam entre si. Os seres humanos podemos nos ferir com o ódio ou podemos ser felizes em um amor que reconcilia. E essa boa missão é para cada um de nós: ser agentes de reconciliação e não de discórdia, ser instrumentos da paz e semeadores de irmandade.

Fazer as orações finais.

Compartilhe!