Sem categoria

Atitudes no Advento

Não é tão fácil, mas precisamos tentar. Qual a nossa atitude? Começar este Advento com boas atitudes pode fazer a diferença.

A atitude de Herodes

Herodes teve seu advento. «Ide e informai-vos bem a respeito do menino. Quando o tiverdes encontrado, comunicai-me, para que eu também vá adorá-lo» (Mt 2,8). A notícia do nascimento de um rei o havia sobressaltado. Não só havia se informado pelos sumos sacerdotes sobre a profecia, como convocou os magos do oriente para que lhe dessem até o mais mínimo detalhe. Herodes, podemos dizer, estava se preparando para este evento. No entanto, sua atitude não era sincera. Via naquela criança um usurpador de seus interesses. Aquele novo rei não devia reinar no mundo, não podia governar em seu coração.

A atitude dos sumos sacerdotes

«Disseram-lhe: Em Belém, na Judeia, porque assim foi escrito pelo profeta…» (Mt 2,5). Os sumos sacerdotes e escribas conheciam perfeitamente as escrituras. Sabiam que tinha que nascer um Messias para guiar o povo de Israel, conheciam até o lugar. No entanto, sua preparação se reduziu a uma atitude de um saber apático. Faltava-lhes a experiência viva que brota de uma fé cheia de esperança.

A atitude dos magos

«Vimos a sua estrela no oriente e viemos adorá-lo» (Mt 2,2). Os magos, provavelmente depois de um grande esforço, haviam encontrado a estrela. Mas não é suficiente. A fé é que os tinha impulsionado e guiado no caminho até aquele menino. Certamente muitos magos daquele tempo detectaram o astro, porém somente alguns tomaram a decisão de seguir aquele caminho penumbroso que os levaria encontrar o recém nascido.

A atitude dos pastores

«Falaram os pastores uns com os outros: Vamos até Belém e vejamos o que se realizou e o que o Senhor nos manifestou. Foram com grande pressa e acharam Maria e José, e o menino deitado na manjedoura.» (Lc 2,15-16). A estes, o Natal chegou de improviso. Não obstante, sendo simples de coração, foram capazes de superar o cansaço da jornada. Deixaram seus próprios planos e se encaminharam, a toda pressa, para contemplar o mistério anunciado pelo anjo.

A atitude de Maria

«Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra.» (Lc 1,38). Maria não se preparou sozinha. Deixou que Jesus a transformasse para este momento tão sublime. Ela não presenciou um acontecimento histórico, mas viveu a experiência de Deus feito carne. A Virgem não escutou passivamente uma profecia, pelo contrário, refletia e meditava todas estas coisas em seu coração. No silêncio, na oração, pode penetrar um pouco mais neste santo mistério.

Este Advento e este Natal podem ser diferentes para cada um de nós. Trata-se de uma questão de atitude pessoal.

 

Do artigo Cuestión de actitud 
Laureano López, LC
site Navidad a la Calle

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *